AS NOSSAS PRODUÇÕES

A Cego, Surdo e Mudo – Produções Multimédia apresenta anualmente vários espectáculos na àrea da cultura e entretenimento. Todas as nossas produções são realizadas a partir de ideias originais procurando sempre oferecer ao nosso público uma oferta diferenciadora, no conteúdo e na descoberta.

Festival Termómetro

Criado em 1994 por Fernando Alvim, o Festival Termómetro conta já com um histórico considerável, para aquele que será um dos mais antigos e mais activos festivais portugueses. Vencendo-o ou não, foi aqui que muitas bandas e artistas se viriam a revelar, como são disso exemplo os Ornatos Violeta, B Fachada, Capicua, Dj Ride, Mazgani, Ana Bacalhau, David Fonseca, Noiserv, Richie Campbell, Salto, Tatanka e os estrondosos Jaguar, Jaguar (BE), entre tantos outros.

Monstros do Ano

Um acontecimento  icónico e provavelmente um dos clássico da Cego Surdo e Mudo.

Todos os anos recordamos e premiamos, numa  belíssima cerimónia , as situações mais marcantes, caricatas, insólitas que ocorrem anualmente no nosso País.

Frase do ano, fuga do ano, vilão do ano, duelo do ano, comédia do ano, herói do ano, milagre do ano…são algumas das categorias num espectáculo que a cada ano parece encontrar cada vez mais matéria digna de premiação.

Grande Regata de Barquinhos a Remos

Mais do que ficar a ver navios, todos são convidados a serem os navios, neste caso, os barquinhos. E para isso, é preciso dar ao remo. As equipas devem escolher um tema e ir vestidas a rigor, com adereços, com fantasia, com imaginação, devem ter um nome sonante e um lema ambicioso para a equipa (máximo 4 elementos, mínimo 2), devem igualmente escrever umas linhas intensas que convença a organização a escolhê-las (podem mentir, podem ser exagerados, podem ser convencidos). Uma regata no lago do Campo Grande, em Lisboa, sempre com uma animada banda convidada.

Padel para Nabos

O torneio Padel para Nabos realiza-se em apenas um dia, com o objectivo de juntar um grupo de pessoas que nunca jogaram Padel na vida, ou então, mesmo que já tenham jogado continuem uns nabos. Um instrutor habilitado ensinará todos os passos aos participantes, as regras básicas e logo depois o torneio entre todos dentro de uma competição saudável e um dia bem passado. A primeira edição, em 2019, realizou-se em Vilamoura e contou com a participação de alguns convidados especiais: Joana Marques, Vanda Miranda, José Luís Peixoto. 

Quarto Escuro

Chama-se Quarto Escuro e a ideia é ninguém saber o que vai acontecer no palco. Ninguém sabe quem são os artistas, quem vai ser os apresentadores, como será o alinhamento. Ninguém sabe nada. A única certeza é todas as entradas revertem integralmente para uma instituição de cariz social. Já apareceram na escuridão Manuel João Vieira, Samuel Uria, Bruno Nogueira, Filipe Melo, Nuno Markl, Fernanda Serrano, Ricardo Araújo Pereira, Vitor Rua, entre muitos outros.

Prémios Novos

Cerimónia anual que visa distinguir os novos talentos de nacionalidade Portuguesa até aos 35 anos, reconhecer o seu protagonismo, actividade e mérito em diferentes áreas da cultura, ciência ou sociedade. Na cerimónia, premeia-se o valor, a capacidade e os talentos emergentes — descobrindo-os e revelando-os a cada edição, incentivando-os e inspirando-os a continuar o seu percurso.

Festival Alternativo da Canção

O Festival Alternativo da Canção é uma ideia original de Fernando Alvim, criado em 2009, tem como objetivo principal provar que qualquer uma das nossas canções poderia muito bem representar Portugal, na Europa. Cada artista participante vem representar um país, com apresentação de algumas personalidades conhecidas. Eládio Clímaco e Serenella Andrade foram os apresentadores da primeira edição, seguiram-se Victor Espadinha, Valentina Torres, António Sala, Dora, Luís Pereira de Sousa e Cristina Caras Lindas.

Vamos trabalhar juntos?

Scroll to top